O debate nas redes sociais: o pior ainda está por vir…

O palco das redes sociais se transformou em um grande Fla-Flu. Questões raciais, políticas, humanitárias, identidade de gênero, tudo tem sido bem confrontado, o que nos anima muito, já que o debate é muito rico, dele resulta acúmulo importante de ideias, mas há o lado sombrio: muito ódio tem sido disseminado, muita energia negativa tem sido espalhada. 
Há muito tensionamento no ar, como se estivéssemos vivendo num status pré-convulsivo. Tenho a recorrente impressão de que haverá acirramento do quadro e no pior cenário, alguns cadáveres no chão, pra nos manter envergonhados por muito tempo. 
Até a comemoração do Dia Internacional da Mulher virou algo tenso; na verdade, sendo bem sincero, até o Natal transformou-se numa data pesada hoje em dia.
Nós temos que tomar muito cuidado ao ressignificar as coisas, sob pena de , no meio do caminho, perdermos completamente o significado delas. Não podemos, no curso da nossa busca por igualdade, esquecermos do respeito ao que temos de mais humano, as nossas diferenças.
  

Edivaldo só tem um caminho

Se a passagem de ônibus aumentar, cairá ainda mais a popularidade da Prefeitura. Resultado: reeleição comprometida.
Se não aumentar a passagem, é certeza de que a Prefeitura vai precisar aumentar a “mesada” das empresas (o famoso Bolsa-SET). 
Se tirar mais dinheiro pro Bolsa-SET, paralisará os outros investimentos. Vai faltar dinheiro pra tapar buraco e pagar funcionários. Resultado: também cairá a popularidade e a capacidade de pagar os fornecedores, que geralmente são os maiores doadores de campanha.
Sem dinheiro, não tem campanha forte. Reeleição também comprometida.
Só resta um caminho pra Edivaldo Junior salvar sua pele: peitar o SET e o Sindicato dos Rodoviários, trazer a população pro seu lado, licitar o transporte como forma de pressão sobre os empresários e segurar a peteca até outubro. 
A única saída é a do enfrentamento. Coragem é o único caminho para o momento. A caneta está com ele.
  

Governo do Estado do Maranhão peca por não anular Concurso para Magistério

É claro que esse concurso para professor do Governo do Estado deveria ser anulado: questão de bom-senso.
A Fundação Sousândrade é a responsável pela confusão e deveria arcar com os prejuízos de um eventual novo concurso.
É óbvio que 25 questões plagiadas fazem grande diferença em concursos onde a diferença entre passar ou não poder ser apenas de um acerto.
Algumas vezes, a concorrência é tamanha que chegam a ter 30 candidatos empatados e o desempate é feito com base na idade etc.
Se existe plágio, há possibilidade de pessoas terem recorrido às fontes do plágio e outros não, portanto há ruptura do princípio da isonomia.
Se há aura de improbidade no ar, o ideal é a anulação e a reedição do exame. 
O Ministério Público está correto em recomendar a anulação. O Governo erra ao desconsiderar o parecer tão bem fundamentado do MP.
É claro que esse concurso para professor do Governo do Estado deveria ser anulado: questão de bom-senso.
A Fundação Sousândrade é a responsável pela confusão e deveria arcar com os prejuízos de um eventual novo concurso.
É óbvio que 25 questões plagiadas fazem grande diferença em concursos onde a diferença entre passar ou não poder ser apenas de um acerto.
Algumas vezes, a concorrência é tamanha que chegam a ter 30 candidatos empatados e o desempate é feito com base na idade etc.
Se existe plágio, há possibilidade de pessoas terem recorrido às fontes do plágio e outros não, portanto há ruptura do princípio da isonomia.
Se há aura de improbidade no ar, o ideal é a anulação e a reedição do exame. 
O Ministério Público está correto em recomendar a anulação. O Governo erra ao desconsiderar o parecer tão bem fundamentado do MP. 

 “À mulher de César não basta ser honesta, deve parecer honesta”.

  

ESTÁ TUDO ERRADO SOBRE A ZIKA

A ciência sempre foi feita de evidências fortes comprovadas por testes estatísticos poderosos. Não existe pressa em pesquisa científica… 
A irresponsabilidade dos pesquisadores, especialmente do Ministério da Saúde, desesperados por resultados imediatos e respostas rápidas a um problema de crianças que nasceram com microcefalia, levou a uma insegurança muito grande no apontamento das causas da  doença. 
A toda hora, surgem novas teorias, algumas delas publicadas em portais sem qualquer idoneidade, que são vertiginosamente compartilhados numa avalanche de informações desencontradas. É o ciclo vicioso da desinformação.
Não somos país de ciência e fatos. O Brasil é do empirismo e do buxixo. Uma ultrassonografista verificou que muitos casos de microcefalia apareceram…perguntou às mães sobre os sintomas na gestação…muitas mães responderam que tinham sintomas da infecção por zika vírus. Quantas pessoas não tiveram zika ano passado? Na minha casa, todos tivemos. Se quase todo mundo teve zika , não obrigatoriamente as alterações nos fetos estariam ligadas a este vírus, já que foi uma infecção em massa, correto?
Outra pergunta: por que a imensa maioria de casos de zika apareceu em Pernambuco? Os casos não são relacionados à infecção pelo vírus? Se o são, a epidemia foi em todo Brasil, não há explicação plausível para a concentração extrema em apenas um estado do Brasil. Há vários estados no Brasil com indicadores socioeconômicos e de saúde piores que Pernambuco. Poderia ter sido no MA, no PI, mas foi em PE. Por que o surto em Pernambuco?
O zika vírus já existe há anos causando infecções em países africanos… recentemente documentaram mais de 3000 casos na Colômbia, porém não houve nenhum alarme, já que não houve surto de microcefalia. Por que não houve surto nesses países? Alguma especificidade genética dessas populações protegeria contra a malformação? 
A última relação que estão sugerindo foi a de microcefalia com uma intoxicação por inseticida na água. Como ter certeza? O mesmo inseticida foi usado em todos os lugares em que houve surto? Ninguém sabe, pois a imprensa já divulga a história, porém não sabe do seu começo. É irresponsabilidade atrás de responsabilidade. Tudo pelo furo, nada pelo fato… Ia esquecendo, divulgaram no Carnaval que o vírus poderia passar pelo beijo, no São João, quem sabe ele venha a ser transmitido pela canjica,vá saber! 
Por último, não houve padronização dos critérios diagnósticos da microcefalia. Começaram com 33 cm, agora abaixaram pra 32 cm. Alarmaram toda a população, mas a verdade é que não sabemos nem do que estamos tratando. 
A ciência é precisa, perfeita, não comporta amadorismo, não tolera o “eu acho”. Já deveriam ter começado os testes com animais de laboratório com infecção induzida por zika, mas agora no Brasil da bagunça, o que você acha que aconteceu? Querem matar o mosquito, a briga agora é “pessoal”, até que a doença arrume outro vetor pra fazer o seu passeio por aí. 
Enquanto isso, não tenha filhos, não beije, não viva, afinal a zika está solta por aí e as coisas estão feias. Afinal, tempos de crise, ou não? 
  

Quem matou o Carnaval de São Luís?

O Carnaval em São Luís acabou de maneira tranquila, mas é preciso fazer a crítica: foi bem fraquinho. A população não fica na cidade. O que se viu foi um vazio, uma ausência quase total de propaganda visual nas vias públicas. É importante ressaltar que esse desmonte iniciou na gestão de Roseana e não foi revertido até o momento com as ações do grupo que assumiu a Prefeitura e o Governo, carecendo portanto, de impacto real nos indicadores: ocupação de rede hoteleira, volume de participantes, satisfação da população e arrecadação fiscal.
Não adianta negar: a fórmula está errada. Estão insistindo nos elementos do São João pra fazer o Carnaval. Cada festividade tem seu tempo e sua trilha sonora. Aprendam isso. Carnaval não é tempo de cacuriá, nem de elementos de bumba-meu-boi. Carnaval é marchinha, é Bicho-Terra, é frevo, é axé! Respeitem o Carnaval ou assumam que não gostam e deixem logo ele morrer.
Se quisermos reavivar a festa, vai ser preciso investir com vontade e trazer pra São Luís o que as pessoas estão indo buscar fora daqui. É tão difícil entender?
Abraços e vamos traaa-traaaa-baaaa-lhaaaaarrr, começou 2016!
  

Esta é Cururupu- onde o pão e circo são a lei

Esta é Cururupu.
Cururupu diz ter o melhor Carnaval da Baixada…
Cururupu gasta muito dinheiro com festa…
Cururupu não gosta de gastar com Saúde…
Cururupu demitiu o médico e o anestesista pra fazer Carnaval…
Cururupu não faz mais cirurgia…
Agora Cururupu manda todos os seus muitos baleados e esfaqueados pra Pinheiro e São Luís…
Não seja como Cururupu…
  

A velha novela das greves de ônibus tem novo capítulo amanhã

E amanhã tem mais um capítulo da novela anual…
Greve de ônibus do SET combinada com os motoristas, cobradores, Prefeitura e SMTT.
Todo ano aumenta a tarifa, mas o serviço não melhora. 
Diminuíram as fraudes em gratuidades, aumentou a arrecadação, mas o setor coloca culpa na crise.
Sabe o que eu vejo? a cobrança da fatura do Bilhete Único chegando na forma de aumento com um monte de sucatas rodando, deficiente sem conseguir subir nos coletivos, calor infernal dentro dos ônibus sem ar-condicionado (aqui pausa pra palmas aos vereadores de São Luís).
Não pego ônibus, não sou candidato a nada esse ano, mas pelo amor de Deus! Dá vergonha do transporte da llha toda vez que atravesso a fronteira do Estado e vemos o funcionamento dos outros lugares, que também foram afetados pela crise. 
A cultura da pilantragem empresarial somada à covardia política é a eterna zika do Maranhão.

  

As verdades supersinceras do Ministro da Saúde

Critiquei a indicação do ministro da Saúde desde o começo. Parecia óbvio que colocar alguém que não exerce medicina há 33 anos não daria certo na pasta.
Após 4 meses, talvez tenha me enganado no todo. As declarações do ministro, apesar de atrapalhadas, cumprem um grande serviço à sociedade.
Se analisarmos friamente a verdade por trás das frases de efeito, ele está 100% correto no conteúdo… Existe um problema de estilística na fala, mas nunca de semântica. 
Exemplos: 
1. “Torço pra que as mulheres peguem zika antes de engravidar” : sabendo que não há recursos pra controlar o Aedes e que o zika é um vírus diferente da dengue (que tem 4 tipos) , pegar zika sem engravidar garantiria uma resistência a uma nova infecção. Ao engravidar, a mulher estaria imunizada.
2. “As mulheres pegam mais zika que o homem porque deixam o corpo mais exposto”. Houve presunção de machismo na fala. Ele pode até ser machista, ninguém sabe, mas daí a ignorar o fato de que as mulheres em termos estatísticos andam com o corpo mais exposto que os homens, é um fato incontestável. 
3. “Sexo é pra amadores, gravidez é pra profissionais”. Não há nenhum erro nisso, apesar das palavras terem sido muito diretas. Se tivéssemos mais educação sexual no Brasil, profissional realmente, óbvio que teríamos menos abortamentos, menos gravidezes indesejadas e menos filhos traumatizados por criação inadequada.
4. “O zika pode deixar como legado uma geração de sequelados”. O termo sequelado na linguagem popular pode ter uma pejoratividade inerente, porém é extremamente utilizado na Medicina. Ex: sequelado de AVC, sequelado de diabetes etc. Sequelas são consequências negativas de uma doença de caráter geralmente permanente. Qual o erro da fala? Não há. 
5. “Estamos perdendo a batalha pro mosquito”. E ,por acaso, estamos vencendo? As estatísticas só pioram. Em crise, teremos o pior ano nos últimos 14 anos pra saúde coletiva. É fato! Que tal as três esferas assumirem o resultado da “intervenção inercial” dos últimos anos? 
Vivemos o fenômeno do politicamente correto de uma maneira tão intensa que algumas vezes há extrapolação das prerrogativas de patrulhamento midiático. Temos que decidir se queremos a verdade e a transparência como ferramenta de controle social ou se queremos seguir reclamando, com a vida real maquiada num conto de fadas. A imprensa brasileira tem que deixar de ser seletiva na expressão dos fatos. A sociedade muito mais… 

 

Por que o Charlie Hebdo não aprende?

A justificativa pra liberdade de expressão não pode ser maior que a preservação da própria dignidade humana. 
Trazer de volta a história de Aylan Kurdi, aquele menininho que morreu no naufrágio e fotografaram com o rosto colado na areia da praia, fazer sátira até hoje de uma maneira tão canalha não merece nada, além de escárnio.

Não foi só uma vez, já foram pelo menos 3 ilustrações de gosto mais do que duvidoso. Cada um planta o que quer, inclusive as sementes da intolerância e violência, já os resultados da colheita, esses ninguém tem dimensão de como podem vir. Charlie já colheu violência…insatisfeito ao que parece, segue plantando as mesmas sementes. 

Se algum dia explodirem o Charlie Hebdo de novo, por favor, não seja mais Charlie. 

   
Figura 1. “Tão perto”, “promoção 2 menus infantis pelo preço de um”.
 Figura 2. “A prova que a Europa é cristã: os cristãos caminham sobre as águas, as crianças muçulmanas não conseguem”.

 
Figura 3. “O que teria sido o pequeno Aylan se tivesse crescido”, em clara referência a um suposto exclusivismo da violência sexual entre muçulmanos.

Por que os restaurantes de São Luís vendem tão caro, atendem tão mal e fecham tão cedo?

Com raríssimas e honrosas exceções, dentre as opções gastronômicas locais, o maranhense paga caro pra ser maltratado nos estabelecimentos e comer mal.

Além disso, não podemos sentir fome depois das 23h, já que a maioria dos restaurantes, inclusive franquias famosas, fecham cedo.

Muitos podem pensar que este fato se relaciona com o problema da segurança (ou insegurança), mas não é. É uma decisão puramente operacional dos empresários, agravada pela passividade que já é marca registrada da nossa gente. Somos tão pacíficos ao ponto de sermos maltratados e acharmos isso normal.

Quem de nós nunca passou pela seguinte situação: você sai pra comer num restaurante e necessita chamar um garçom que estava desocupado e ouve dele “esta mesa não está comigo, é outro garçom”? Quem nunca?

Quantas vezes você não foi maltratado, esquecido, necessitando de um copo com água logo após morder um pedaço de pimenta perdido no meio da comida e ao final do atendimento, lá estavam os 10% pra serem pagos na continha?

Mais um exemplo é a seguinte situação , que ocorreu na posse da nova diretoria da OAB ontem, conforme publicado no blog do Aquiles Emir. O resto é rotina… Lamentável!

“Diversos advogados que vieram para a posse da nova diretoria da seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Maranhão (OAB-MA), dentre eles o presidente da Ordem Nacional, Vinícius Coelho, foram para os seus hotéis com fome, após a solenidade, realizada no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, por falta de estrutura da rede gastronômica da cidade.

Quem relata o fato é o advogado Luís Miranda Guterres, conselheiro federal eleito da Ordem dos Advogados do Brasil. Segundo ele, na condição de cicerone dos convidados que vieram de outros estados para tão importante evento, agendou um jantar para a madrugada desta sexta-feira (08), no Restaurante Gaia (foto), localizado na Avenida dos Holandeses, na Ponta d´Areia.

Pois bem, os convidados chegaram por volta de 45 minutos depois da meia-noite. Vinte minutos depois, já com todos os pedidos feitos, faltou luz no restaurante, por falha em um disjuntor. Sem condições de reparo, todos saíram a procura de outro restaurante – Cabana do Sol, Coco Bambu, Feijão de Corda etc – mas para surpresa dos que visitavam São Luís e constrangimento dos maranhenses, todos eles estavam fechados.

Assim, os ilustres visitantes tiveram de voltar aos seus hotéis sem jantar, ou seja, com fome. Triste, mas é fato.”


(http://www.aquilesemir.com.br/2016/01/convidados-para-posse-na-oab-ma-passam.html?m=1)